Inicial | Quem somos | Fale conosco | Reclamações | Denúncias | Links | Úteis |

 

 

 

Proposta salarial dos Correios visa evitar greve de trabalhadores

segunda-feira, 13/10/08 - 21h00

Empregados terão reajuste salarial acima do IPCA

Após dois meses de intensas negociações entre a direção dos Correios e os sindicatos dos empregados, com a realização de 13 reuniões entre as partes, a ECT apresentou hoje (13) uma proposta para o fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho de 2008/2009 que prevê um reajuste salarial acima do IPCA. As vantagens econômicas e sociais oferecidas pela empresa contemplam os anseios da categoria e têm por objetivo evitar a greve anunciada para o próximo dia 15.

Os valores propostos na reunião de hoje são: reajuste linear de 7,37% sobre os salários; adicional de R$ 100,00 para Agentes de Correios em atividade de Tratamento (antigo Operador de Triagem e Transbordo); vale-alimentação/refeição de R$ 18,50, de agosto a dezembro/08; vale-alimentação/refeição de R$ 20,00, a partir de janeiro/09; vale-alimentação II (antigo vale-cesta) de R$ 110,00; reembolso-creche de R$ 335,07; auxílio para filhos dependentes portadores de necessidades especiais de R$ 531,85; crédito extra no vale-alimentação/refeição, em dezembro/08, de R$ 425,50; manutenção de todas as demais cláusulas do Acordo anterior.

Além das vantagens econômicas, a empresa propôs diversas melhorias nas cláusulas sociais, dentre elas, a implantação imediata da licença maternidade de seis meses.

Nos últimos cinco anos, os carteiros e atendentes em início de carreira tiveram reajuste salarial de 99,2%. Os empregados de cargos técnicos ganharam 90,9%, e os de nível superior, 65,2%. Todos esses índices foram superiores ao IPCA, que subiu 36,52% no mesmo período, enquanto a média de reajuste dos salários dos empregados dos Correios foi de 72,26%; na maioria das empresas brasileiras o reajuste foi de 23,36% no período. Recentemente, em julho de 2008, os carteiros tiveram um aumento de 30%, devido à incorporação do adicional de atividade aos salários.

 

Voltar
 
© 2002-2011 - Acorda, Pará! Todos os direitos reservados.